é incrivel viver com gente incrivel! ela tem um radinho, desses de pilha, desses bem vagabundos, desses que tem em qualquer barraquinha de camelo. ela o nomeou de MACABÉA. achei genial. pra quem prestou vestibular alguma vez na vida sabe que a Macabéa é a personagem do livro A Hora da Estrela, de Clarice Lispector (ó eu aqui falando dela denovo!).  Macabéa é uma virgem, de 19 anos, sem estudos que veio de alagoas para a cidade grande. ve a vida como uma coisa que apenas é porque é: já que sou, o jeito é ser. “gosta de acordar mais cedo aos domingos para ficar mais tempo sem fazer nada”. vivia em tanta mesmice que de noite não se lembrava do que acontecera de manhã.

“(…) passava o resto do dia representando com obediência o papel de ser”.

“Ouvia na Rádio Relógio que havia sete milhões de pessoas no mundo. Ela se sentia perdida. Mas com a tendência que tinha para ser feliz logo se consolou: havia 7 milhões de pessoas para ajudá-la”.

“Ria por não se lembrar em chorar”.

macabea. by Paula Bauab

agora para pra pensar. quantas macabéas vocês conhecem? não precisa ser nenhuma nordestina e virgem. tem muita gente que tem muita coisa, muito estudo, muito dinheiro, muito tudo e simplesmente existe.

………….. . ……………Soundtrack Belle & Sebastian / Beautiful

Anúncios

o jeito é ser

maio 23, 2010

“já que sou, o jeito é ser” C.L

sou. by Paula Bauab

ser. by Paula Bauab

(…)

vista do meu novo (velho) quarto.

…………………….. . . …………..soundtrack arnaldo antunes/ as melhores coisas de vida

Nan Goldin.

americana de Washington, nasceu em 1953. É judia de família de classe média. Começou a fotografar aos quinze anos por influência de um professor.

” Goldin não assume uma postura voyeurística ou sentimental. Através da intimidade e do afeto em relação aos seus temas, a autora revela a sua vulnerabilidade, bem como a sua própria admiração pela sexualidade e encanto assumidos. Goldin fotografa a vida diretamente. A sua atenção foca-se na família alargada constituída por amigos e amantes – as pessoas que a rodeiam, partilhando os mesmos prazeres e sofrimentos. É o fio da navalha: um mundo clandestino de vidas duras, abuso de drogas, amor, sexo, sobrevivência, violência e onipresença da morte. As fotografias de Goldin não são deliberadas, mas sim semelhantes a instantâneos de um álbum de família e é este realismo e estilo despretencioso que torna o seu diário fotográfico num registo fiel e comevedor da sua vida.”

Nan Goldin

Nan Goldin

Nan Goldin

Nan Goldin

Nan Goldin

Nan Goldin

Nan Goldin

Nan Goldin

Nan Goldin

Nan Goldin

Nan Goldin

Nan Goldin

Nan Goldin

Nan Goldin

Nan Goldin

Nan Goldin


Nan Goldin

a Nan tem um trabalho bem emocionante. outro dia eu estava na livraria cultura eu peguei o livro dela pra ver, nossa é lindo, os amigos, a vida e no final a morte prematura de muitos. vale a pena conhecer melhor o trabalho e vida dela.

aspas 1: clarice lipscetor

aspas 2: blog o século prodigioso

……………………….. …………….Soundtrack queens os the stone age

maybe later

fevereiro 22, 2010

maybelater. by Paula Bauab

maybelater. by Paula Bauab

maybelater. by Paula Bauab

“…estou procurando, estou procurando. Estou tentando me entender. Tentando dar a alguém o que vivi e não sei a quem, mas não quero ficar com o que vivi. Não sei o que fazer do que vivi, tenho medo dessa desorganização profunda.”

Clarice Lispector

olha só é Rio Preto, dá pra acreditar?

………………. . ………… . .Soundtrack Ida Maria/Forgive me

olhe…

dezembro 23, 2009

“Olhe, tenho uma alma muito prolixa e uso poucas palavras.
Sou irritável e firo facilmente.
Também sou muito calmo e perdôo logo.
Não esqueço nunca.
Mas há poucas coisas de que eu me lembre.”

Clarice Lispector

”]

…………………… .. .. .Soundtrack Moveis Coloniais de Acaju